Pandemia e o Digital: entenda o que mudou

Pandemia e o Digital: entenda o que mudou

Com a pandemia do coronavírus e o isolamento social, o uso da mídia digital foi intensificado. Sem distrações fora de casa, o jeito foi se voltar para as telas em busca de diversão e conhecimento.

E não pense que isso é apenas para os mais jovens, essa migração digital aconteceu com toda a família. Sejam as aulas EAD, as assinaturas de streaming, as compras online ou se divertir com influenciadores, esta nova atenção para o mundo online chegou para ficar.

As principais mudanças digitais

Os últimos meses, digitalmente, ficaram marcados pelas mudanças de comportamento do usuário. Segundo pesquisa realizada pelo Neil Pattel, especialista em tráfego online, os acessos em sites de viagem ou do setor imobiliário despencaram. Enquanto isso, sites de alimentação e saúde cresceram nas buscas.

Ter em mente estas oscilações de procura na internet te ajuda a posicionar a sua marca de acordo com aquilo que se estão buscando.

Redes Sociais e pandemia

Nas redes sociais, nestes últimos meses, os usuários tiveram um maior cuidado em relação aos perfis seguidos, onde 78% majoritariamente deixou de seguir perfis, enquanto 22% começou a seguir novos perfis.

No que diz respeito à motivação de uso, 68% das pessoas utilizaram as redes sociais para o entretenimento e 49% para aprendizado. Destes últimos:

  • 53% procuraram pelo youtube;
  • 29% consumiram do Instagram;
  • 18% utilizaram o facebook.

 

Consumo digital e pandemia

Os hábitos de consumo já mudaram e até os mais céticos em relação às compras online estão se entregando a esta experiência. Segundo pesquisa da E-bit, 32% dos compradores online fizeram a sua primeira compra durante o isolamento.

Mas saber onde estão acontecendo as vendas é imprescindível para a estratégia de vendas online. Na hora de comprar o presente ideal, por exemplo:

  • 60% dos consumidores compram presentes direto no site da loja;
  • 39% procuram no Google;
  • 23% encontram o presente ideal nas Redes Sociais.

Com essa nova demanda a ABComm fez uma pesquisa que constatou que o crescimento do comércio eletrônico acelerou 48% no mês de maio, com mais de 80 mil lojas online sendo lançadas desde o início de abril.

A digitalização do mercado é uma realidade. Mas, a pressa para não perder esta oportunidade trouxe algumas experiências negativas para os consumidores, prejudicando a imagem de diversas marcas

Dentre alguns gargalos apontados em uma pesquisa do Google, os principais foram:

  • Problemas de estoque (29%): quando você começa a vender online é preciso unificar o seu sistema de estoque, para que não aconteça ruídos na hora da compra;
  • Falta de confiança (28%): sem tempo para estruturar a sua presença digital, muitas marcas acabam migrando para o online se esquecendo de fortalecer a sua imagem institucional.

 

Sabemos que pode parecer uma simples migração, mas na verdade há um complexo diagnóstico de presença junto com estratégias de relacionamento para que o seu público tenha uma boa experiência de compra!